terça-feira, 29 de março de 2016

SÃO GONÇALO DOS CAMPOS: JUSTIÇA PROÍBE PREFEITURA DE REALIZAR EVENTOS FESTIVOS





A Justiça estadual proibiu a prefeitura de São Gonçalo dos Campos, cidade localizada a 115 quiômetros de Salvador, de promover qualquer evento festivo no município, após o Ministério Público do Estado denunciar que a administração municipal realizava festas com dinheiro que deveria ser destinado à Educação.

Segundo a promotora Laise Carneiro, o Ministério Público Estadual identificou no portal da transparência de São Gonçalo dos Campos uma planilha de despesas, por exemplo, no valor de R$ 200 mil, pagos à banda Aviões do Forró. Contudo os recursos foram registrados como sendo para a Educação. A promotora afirma que de 2015 até janeiro de 2016 a prefeitura gastou um R$ 1,2 milhão em eventos festivos, enquanto escolas municipais funcionam fora das condições estabelecidas pelo Ministério da Educação.

Prefeito de São Gonçalo dos Campos (Foto: Reprodução/TV Subaé)Prefeito diz que empresa que gerencia Portal da
Transparência colocou informações erradas no site
(Foto: Reprodução/TV Subaé)


"Desde o ano de 2014 que o Ministério Público de São Gonçalo dos Campos está realizando visitas nas escolas, e nós verificamos que muitas das escolas que nós visitamos não atendiam as condições mínimas de funcionamento", relatou a promotora.

Já o prefeito da cidade, Antônio Dessa, nega que tenha ocorrido o desvio e aponta que o erro foi da empresa que administra o Portal da Transparência do município. "Estou provando e mostrei todos os extratos bancários de que os recursos não saíram da conta da Educação. Ela [a promotora] pegou as informações no Portal da Transparência, que é administrada por uma empresa que ganhou a licitação de São Gonçalo dos Campos. Na hora de colocar a colocar a função, colocou errado em todas [as planilhas]. Inclusive eu já abri um procedimento investigatório para saber por que a empresa fez isso", explicou o prefeito. 

Por conta da denúncia, a prefeitura de São Gonçalo do Campos está proibida, inclusive, de realizar shows que já estavam programados. A justiça determinou também que a prefeitura reforme as escolas com problemas estruturais apontadas pelo Ministério Público. Em caso de desobediência, o município pode pagar multa de R$ 100 mil. A ação cabe recurso.


Fonte: G1/BA/Tv Bahia



Nenhum comentário:

Postar um comentário

MINHA CASA MINHA VIDA: 56,4% DOS IMÓVEIS AVALIADOS APRESENTAM DEFEITOS NA CONSTRUÇÃO

Foto: Ilustração O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) divulga o resultado da avaliação da execução d...